Potência do Ar Condicionado - Como Calcular?

Muitas pessoas perguntam como calcular a Carga Térmica para dimensionamento de ar condicionado para utilização em dormitório ou mesmo num pequeno escritório. Veja aqui algumas variáveis para o correto dimensionamento.

Norma Técnica ABNT NBR 16401

Desde agosto de 2008 foi publicada a atualização da Norma NBR 6401 para NBR 16401-1 / 16401-2 e 16401-3 Projetos de Instalações de Ar Condicionado. ABNT NBR 16401-1 Parte 1: Referente a Instalações de Ar Condicionado - Sistemas Centrais e Unitários. Leia mais.

Como Funciona o Ar Condicionado?

Um ar condicionado usa um material chamado de "fluido de trabalho" (Fluido Refrigerante) para transferir energia de dentro de um quarto para o exterior. O fluido de trabalho é um material que se transforma fácilmente de gás para líquido e vice-versa, sob um grande intervalo de pressão e temperatura.

Cursos em Sistemas de Ar Condicionado

Cursos e Treinamentos sobre Sistemas de Ar Condicionado, Curso Técnico Gratuito no SENAI, Curso em Ar Condicionado Automotivo e outras dicas você encontra aqui.

Split Inverter - O mais Silencioso

O modelo mais silencioso do mercado chega ao país. LG anuncia Ar Condicionado Split Libero Inverter no Brasil e amplia a área de negócios de Ar Condicionados da empresa destacando investimentos globais, além de empreendedorismo local com vendas recordes em 2010.

Seu Banner Aqui

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Elgin lança ar-condicionado de janela com menos ruído

‘Mudança para compressor rotativo torna produto mais silencioso e consome menos energia’.

Um dos modelos mais tradicionais e eficientes de ar condicionado – o aparelho para janela – ganha uma versão mais silenciosa e consumirá menos energia. A Elgin, empresa genuinamente brasileira com meio século de existência, que atua com esta categoria de produto há 24 anos, relança no mercado o aparelho de 6000 BTU/hr com sistema compressor rotativo, o que proporciona maior economia de energia e redução acentuada de ruído.


O modelo, classificado pela empresa como um dos mais econômicos da categoria já é um sucesso de vendas e agora se tornará um produto ainda mais competitivo. O condicionador de ar 6.000 BTU/h já atende a uma faixa de consumo bem ampla, pois é um produto de grande aceitação popular, bem distribuído pela rede de varejo nacional, sobretudo pelo preço. “Pensamos em tornar o produto ainda mais eficiente, para que os clientes sejam cada vez mais beneficiados optando por nossos produtos”, afirma Alexandre Faraco, gerente de marketing da empresa.

Com o avanço tecnológico em seus produtos, a Elgin espera incrementar as vendas de condicionadores de ar em 20 % durante o verão. Além disso, a marca adota o Pingüim Elgin em seu material de publicidade. O simpático mascote vem para diferenciar a linha de climatizadores da marca, como um diferencial na comunicação e estará retratado em oito poses em folders, cartazes e material de pontos de venda durante todo o verão. SAC ELGIN : Grande São Paulo (11) 3383-5555 / Demais Estados 0800-7035446.

Fonte: http://www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=62340

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Ar Condicionado na Praia

Pense na temperatura da areia na praia em pleno sol escaldante. Você consegueria ficar descalço na areia? Agora imagine se essa areia fosse climatizada com um tipo de Ar Condicionado. Imagine isso! Não estou ficando louco não, isso já é uma verdade.


Um Hotel de Luxo em Dubai tem esse projeto para ser inaugurado em meados de 2010. A proposta é que a areia seja refrigerada por tubos com um mega sistema de ar condicionado. Que maravilha! Uma inovação e tanto.

De acordo com informações a temperatura em Dubai pode ser superior a 48%. Uma carga térmica e tanto.

Vamos aguardar a inauguração da primeira praia climatizada.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Seminário Gestão Ambiental na Indústria

Reunindo um seleto grupo de especialistas que atuam no setor de meio ambiente industrial brasileiro, a revista Meio Ambiente Industrial, a Interação Ambiental e a Ambientepress Comunicação Ambiental, encerram as atividades de 2008 com chave de ouro por meio da organização do “Seminário Gestão Ambiental na Indústria”, a ser realizado nos dias 08 e 09 de dezembro, no Feller Avenida Paulista, Rua São Carlos do Pinhal, 200 Bela Vista – São Paulo – SP.


Organizado para contemplar um perfil empreendedor e prático, conforme exigências do mercado atual, os temas serão trabalhados de forma interativa com o público o que confere ao Seminário “Gestão Ambiental na Indústria” uma excelente oportunidade para ficar por dentro do que há de mais moderno e atual no cenário ambiental brasileiro, bem como aprender a aliar competitividade às técnicas de prevenção, redução, gerenciamento, responsabilidade ambiental e desenvolvimento sustentável.

Aproveite e confirme já a sua participação!

Mais informações e inscrições:
São Paulo - (11) 3917-2878 E-mail: eventos@rmai.com.br
Site: www.meioambienteindustrial.com.br

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Avaliação Ambiental Estratégia no Brasil

O Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo convida:

RUMOS DA AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA NO BRASIL

Data: 09 de dezembro de 2008
Horário: 14h00 às 17h00
Local: Auditório Alberto Carvalho da Silva (USP - SP)

Coordenação:
Luis Enrique Sánchez, Depto. Engenharia de Minas e Petróleo da Escola Politécnica da USP e membro do GE de Ciências Ambientais do IEA/USP.


Expositores:
Paulo César Gonçalves Egler, Centro de Estudos Avançados de Governo e Administração (CEAG) da Universidade de Brasília (UnB);
Izabella Mônica Teixeira, Secretária Executiva do Ministério do Meio Ambiente;
Casemiro Tércio Carvalho, Coordenador de Planejamento Ambiental da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo.

Informações:
11 3091-1685

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Homenagem ao Prof. Dr. José Goldemberg

A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, o Centro da Cultura Judaica e a Federação Israelita do Estado de São Paulo têm a honra de convidá-lo (a) para uma homenagem que será feita ao Prof. Dr. José Goldemberg, face ao prêmio BLUE PLANET (oferecido pela ASAHI GLASS FOUNDATION, do Japão), dada sua reconhecida contribuição tanto no âmbito da física como nas questões ambientais, energéticas e relativas aos impactos decorrentes das mudanças climáticas.




O evento acontecerá no próximo dia 04 de dezembro, a partir das 20h, no Centro de Cultura Judaica - SP.

Informações: 11 3286 0663

VII Convencão Internacional sobre Meio Ambiente - Cuba

O Ministério de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente da República de Cuba convidam para a VII Convencão Internacional sobre Meio Ambiente.

O Evento com tema "Formar Conciência para Salvar o Planeta" acontecerá entre os dias 6 e 10 de julho de 2009


Abaixo segue texto do e-mail que recebi sobre o evento:
El Ministerio de Ciencia, Tecnologia y Medio Ambiente de la Republica de Cuba invita a investigadores, profesionales, educadores, especialistas, gestores, empresarios y demas personas interesadas de todo el mundo, a participar en la VII Convención Internacional sobre Medio Ambiente y Desarrollo que bajo el lema "Formar Conciencia para Salvar al Planeta" se realizara, entre el 6 y el 10 de julio del 2009, en el Palacio de Convenciones de La Habana.

La Convencion es la reunion internacional tradicional mas importante sobre Medio Ambiente que se celebra en Cuba y esta integrada por 5 congresos con los temas siguientes: Educacion Ambiental; Áreas Protegidas; Gestion Ambiental; Manejo de Ecosistemas y Biodiversidad y Cambio Climatico. Además, se presenta al igual que en años anteriores una Feria Expositiva Asociada de Tecnologías, Proyectos y Experiencias Ambientales.

Mucho le agradecemos que nos ayude a divulgar la misma entre sus colegas para lo cual le adjuntamos la información General de la Convención y la del VI Congreso de Areas Protegidas de forma especifica.

Para cualquier contacto e información remitirse al siguiente e-mail:

mary@snap.co.cu
elsacuba2004@yahoo.es

domingo, 30 de novembro de 2008

Grau de Superaquecimento do Fluido Refrigerante

O superaquecimento do fluido refrigerante à saída do evaporador, definido entre a diferença da temperatura de sucção (Ts) e a temperatura de evaporação saturada (Tev) pode ser medida através de um manifold, termômetro de bulbo ou eletrônico (com sensor de temperatura), isolante e tabela de conversão pressão-temperatura para o fluido refrigerante.

Para tanto devemos colocar o bulbo em contato com a linha de sucção. A superfície deve estar limpa e a medição deve ser feita na parte superior do tubo, para evitar leituras falsas. Isole o bulbo ou sensor com o isolante de modo a isolá-lo da temperatura ambiente. Instale o manifold nas linhas de descarga (manômetro de alta) e sucção (manômetro de baixa).


Depois que as condições de funcionamento se estabilizarem leia a pressão no manômetro da linha de sucção. Da tabela de R-22 obtenha a temperatura de evaporação saturada (Tve). No termômetro leia a temperatura de sucção (Ts). Faça várias leituras da temperatura. Subtraia a temperatura de evaporação saturada (Tev) da temperatura de sucção, a diferença é o superaquecimento.

Se o superaquecimento estiver entre 4°C e 6°C, a regulagem da válvula de expansão está dentro do padrão. Se estiver abaixo, muito refrigerante está sendo injetado no evaporador e é necessário fechar a válvula (girar parafuso de regulagem para a direita no sentido horário). Se o superaquecimento estiver alto, pouco refrigerante está sendo injetado no evaporador e é necessário abrir a válvula (girar parafuso de regulagem para a esquerda no sentido anti-horário).

Fonte: http://www.sj.cefetsc.edu.br

sábado, 29 de novembro de 2008

Testoni: novo distribuidor Armacell no Rio Grande do Sul

Com a meta de fortalecer sua presença e ampliar sua participação no mercado da Região Sul do País, a Armacell está com novo distribuidor para o Estado do Rio Grande do Sul. Trata-se da Testoni Indústria e Comércio, que, há 11 anos, comercializa materiais técnicos e de acabamento para a construção civil.

A Testoni, como distribuidora Armacell, às linhas que comercializa na área de isolação termoacústica, soma os produtos da Armacell, em especial a família Armaflex, linha completa de isolamento térmico em espuma elastomérica flexível, os revestimentos Arma-Check, o isolamento específico para dutos Armaduct, além de acessórios diversos.

Presente nos principais empreendimentos regionais, a Testoni, segundo seu diretor Rodolfo Testoni, como resultado da parceria com a Armacell “passa a participar mais fortemente no mercado de isolamento térmico flexível para sistemas de ar condicionado e refrigeração, disponibilizando variado estoque a pronta entrega e garantindo a qualidade dos produtos, o preço competitivo e a política comercial da Armacell”.


Arnaldo Basile, diretor de vendas e marketing da Armacell para Brasil e Mercosul, alinha entre os principais fatores que levaram à parceria, “a presença do distribuidor no mercado, o reconhecimento obtido ao longo desses 11 anos de atividade e a postura mantida pelos profissionais da Testoni no relacionamento com o cliente”.

Perfil da Armacell - A Armacell (www.armacell.com.br) é a única empresa fabricante de isolamento térmico em espuma elastomérica que produz no Brasil os produtos que comercializa. Sua fábrica está localizada na cidade paulista de Pindamonhangaba.

Presente no mercado latino-americano desde 1995 via fábricas localizadas na Europa, a Armacell fundou sua unidade no Brasil em março de 2001 e iniciou sua produção local em setembro de 2002. Na seqüência, a Armacell Brasil assumiu a distribuição para o Mercosul. Atualmente, conta com distribuidores em todas as regiões brasileiras e um Centro de Distribuição para o Nordeste, na Região Metropolitana do Recife e próximo ao Porte de Suape.

Líder mundial na fabricação de isolamento térmico flexível, a Armacell nasceu da Divisão de Isolamentos da Armstrong World Industries, que iniciou suas atividades em 1860, como fábrica de cortiça na cidade de Pittsburgh, Estado norte-americano da Pennsylvania. Hoje, registra faturamento mundial superior a 400 milhões de Euros e conta com 20 fábricas distribuídas em 13 países (Austrália, Alemanha, Bélgica, Brasil, Espanha, Estados Unidos, China, Índia, Inglaterra, Itália, Polônia, Suíça e Tailândia), que garantem a distribuição para os demais países.

Fonte: http://www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=60649

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Carga Térmica Definição

É a quantidade de calor a ser retirada (regime de verão) ou fornecida (regime de inverno) ao ar para manter, em um ambiente, as condições desejadas.
Subdividi-se em carga térmica interna, gerada dentro do ambiente tratado e carga térmica total que considera o calor devido ao ar externo introduzido para renovar o ar ambiente.

Para efeito de dimensionamento dos equipamentos normalmente interessa a carga total máxima – pode haver variações de carga durante o uso dos ambientes – soma de todas as parcelas que compõem a carga. Para a especificação dos controles automáticos interessa também o cálculo das cargas parciais que ocorrem fora do período de pico (carga máxima).
Fonte: Fundamento de Ar Condicionado (Pós Graduação FEI)
Clique aqui e faça o download de uma planilha simplificada para Calculo de Carga Térmica.

Gostou deste artigo? Então considere assinar grátis nosso Rss Feed e receba todas as atualizações do SAC diretamente em seu e-mail.
Siga e envie aos seus amigos via Twitter e Facebbok.

Pane em Ar Condicionado cancela Cirurgias no HC

Foram canceladas mais de cinquenta cirurgias de acordo com informações da direção do Hospital das Clínicas localizado na Cidade Universitária da Região Oeste de Recife.

Divulgaram que uma pane no sistema de bombas dos equipamentos de Ar Condicionado foi o causador do transtorno, as cirurgias foram canceladas desde a ultima sexta-feira (dia 24/12).


Geralmente os sistemas de ar condicionado deste tipo deve conter bomba reserva, garantindo o pleno funcionamento do sistema em caso de pane numa das bombas. Em hospitais o caso é ainda mais crítico, deveria ter um sistema de segurança, garantindo o fornecimento de ar condicionado.

Indico dois motivos preocupantes:

1 - algumas empresas instalam sistemas de ar condicionado sem bomba reserva e não avisam o cliente sobre evetuais falhas;
2 - algumas empresas prestadoras de serviços não efetuam a manutenção preventiva de acordo, deixando os sistemas de ar condicionado vulneráveis.

Mais informações: http://jc.uol.com.br/2008/11/27/not_186094.php

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Indústria de aparelhos de ar-condicionado poderá se instalar em Rondônia

O governador Ivo Cassol recebeu nesta segunda-feira (24) o empresário Arnaldo Segal, diretor da Segtron Ar Condicionado. Acompanhado do secretário da Sedes, Marco Antonio Petisco e do diretor executivo da Emater, Sorrival Lima, o empresário apresentou a empresa ao governador e falou da intenção de instalar uma montadora do produto no estado.

Logo no início da visita, Segal presenteou o governador com um livro que conta a história do ar-condicionado no Brasil e apresentou um esboço de como funcionaria o trabalho da montadora. O governador demonstrou entusiasmo com a proposta da empresa e deixou claro que o estado está aberto a empresários que queiram investir aqui. “Empresas que agregam valor e geram empregos são sempre bem-vindas a Rondônia”, destacou.


Cassol aproveitou ainda para ressaltar as potencialidades do estado para o empresário, que terá além do mercado interno o mercado andino para explorar, além da rodovia do Pacífico que ligará o Brasil, via Acre, ao oceano Pacífico, no Peru que facilitará a chegada dos insumos a montadora.

O empresário informou ainda que está sendo realizado um estudo de viabilidade econômica e que tão logo seja concluído o projeto será protocolado na Sedes, para ser apresentado ao Conder onde pleiteará incentivos fiscais. “O nosso objetivo é agregar competitividade ao nosso produto, para que possamos competir em igualdade com outras empresas que já recebem incentivos fiscais de outros estados”, explicou Segal.

O município de Guajará-Mirim, região de livre comércio no Estado, deve ser o local da instalação da montadora, que gerará 100 empregos diretos e receberá um investimento na ordem de R$ 15 milhões, como informou Arnaldo Segal ao governador. “Estamos estudando a possibilidade da instalação em Guajará, já que as regiões de zonas francas são propícias para empresas montadoras. Por isso, faremos uma visita ao município”. A visita ao município de Guajará-Mirim será realizada nesta terça-feira (25) em companhia do deputado estadual Miguel Sena, que esteve também na residência oficial para conversar com o empresário.

O mercado nacional de ar-condicionado tem uma demanda de 1,8 milhão de unidades/ano, entre modelos tradicionais e splits.

Fonte: Rondonoticias
http://www.rondonoticias.com.br/showNew.jsp?CdMateria=79655&CdTpMateria=7

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Sistemas de Termoacumulação

Com o aumento de custo de energia elétrica e devido ao fato das fontes de geração hidroelétrica, nosso principal recurso energético, estarem se esgotando ou cada vez mais distantes dos centros de consumo, começou-se a implantar no país uma tarifação diferenciada nos horários de maior consumo de energia. Essa medida visa um melhor aproveitamento da capacidade das usinas que praticamente tem operado no limite de geração nos horários de pico e ociosa nos demais períodos.

Atualmente as concessionárias de energia elétrica praticam uma tarifação mais elevada em apenas três horas por dia, mas a exemplo de outros países, esse período tenderá a ser ampliado. Em um edifício, o sistema de ar condicionado é um dos maiores responsáveis pelo consumo de energia elétrica e um projeto adequado pode reduzir em muito a conta de eletricidade no final do mês.



A termo-acumulação não leva a um menor consumo de energia. A redução do custo de energia elétrica é conseguida com a redução na potência da subestação e devido a uma transferência no horário de produção do frio, do horário de pico, onde a tarifação é mais elevada, produzindo e armazenando frio a noite quando a energia é mais barata.

É o meio mais simples e eficiente de armazenamento térmico. Durante o período no qual a carga térmica é reduzida ou no qual a instalação não está sendo utilizada, os chiller são ligados para armazenar água gelada em reservatórios isolados termicamente. Os reservatórios podem ser construídos tanto em chapa de aço como em concreto, sendo constituídos com várias câmaras interligadas segundo a técnica denominada “labirinto” ou mesmo em tanques unicelulares do tipo estratificado que reduzem as perdas por mistura e transmissão, aumentando a eficiência dos mesmos

Outro fato que favorece o uso da termo-acumulação é o fato da mesma proporcionar uma redução na potência instalada. A carga térmica necessária na maioria das instalações de ar condicionado é variável, devido ao fato de serem também variáveis a carga de insolação e a própria ocupação dos ambientes.

Em um sistema de ar condicionado convencional, a capacidade tem que ser baseada no horário de maior carga térmica, o que conseqüentemente faz com que os equipamentos fiquem superdimensionados e ociosos na maior parte do tempo. Na termo-acumulação pode-se dimensionar os equipamentos com uma capacidade inferior a capacidade do horário de pico, sendo a diferença completada pela queima da energia térmica acumulada em outro horário. Com isso, consegue-se instalações com potências menores e, conseqüentemente, menores subestações e menores demandas contratadas de energia elétrica.

Fonte: http://www.sj.cefetsc.edu.br

domingo, 23 de novembro de 2008

Como funcionam os Bi - Tri Split

Para cada evaporador existe um sensor de temperatura? Como tenho apenas um compressor, quando um dos sensores atinge a temperatura desejada, ele desliga a solenóide instalada em cada evaporador, na respectiva linha de líquido?

Existe válvula de retenção nas linhas de líquido com propósito de impedir que a temperatura "A" interfira na temperatura "B"? R.: Dentro da linha Hitachi, temos duas família de produto que trabalham com multímetro evaporadores. - Multizone: pode trabalhar com até 4 unidades internas para cada unidade externa. - Set-free: pode trabalhar com até 12 unidades internas para cada unidade externa.

Utilizaremos esta família para tentar explicar. Para controle do equipamento, temos sensores monitorando os seguintes pontos:

1) Unidade Interna: temperatura de entrada e saída do ar, linha de gás e linha de líquido (em todas as unidades).

2) Unidade Externa: temperatura do ar externo, descarga do gás e tubo evaporador. Pressão de sucção e descarga.


Monitorando estes pontos é que o microprocessador de controle toma as decisões de abrir/fechar as válvulas de expansão eletrônicas, mudança de velocidade do ventilador ou variação de rotação do compressor.

As válvulas de expansão eletrônicas das unidades internas podem fechadas, proporcionalmente à necessidade de refrigeração no ambiente, até 50% da capacidade. Abaixo disto a válvula é totalmente fechada e a unidade interna fica somente ventilando.

O compressor é do tipo scroll e portanto para controlar a sua capacidade temos duas situações:

1) nos equipamentos de 5 hp, temos somente um compressor e neste caso variamos a sua capacidade através de uma variação na freqüência de alimentação elétrica. Com isto sua rotação muda e conseqüentemente a vazão de refrigerante e a capacidade. Na unidade externa existe um acumulador de líquido que armazena o refrigerante que não está circulando. A válvula solenóide que faz o by-pass de fluido refrigerante está na unidade externa.

2) Nos equipamentos de 8 e 10 HP, temos dois compressores, sendo que um trabalha ON/OFF e outro trabalha proporcionalmente, como descrito acima.

Fonte: http://www.sj.cefetsc.edu.br

sábado, 22 de novembro de 2008

Como funciona o ar condicionado automotivo?

O princípio de funcionamento é semelhante aos aparelhos comuns de condicionamento, com exceção do compressor que é acionado pelo motor do veículo.



O condensador é a convecção forçada, onde é usado um ventilador separado ou o próprio ventilador do radiador, sendo, neste caso, o condensador instalado na frente do radiador.

O movimento do ar no interior do veículo é executado por um ventilador centrífugo acoplado ao motor elétrico. Como o compressor funciona dentro das características de funcionamento do motor do automóvel, uma válvula reguladora de sucção é instalada no tubo de retorno.

Os componentes de um sistema de condicionamento automotivo são: compressor, condensador, evaporador, motor ventilador, válvula de expansão termostática, depósito de líquido, filtro, chave magnética e termostato.

Fonte: http://www.sj.cefetsc.edu.br

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Odores de recintos condicionados

Para retirar os odores de recintos condicionados utiliza-se o carvão ativado, o mesmo agente de filtragem do ar empregado em máscaras contra gases, retira os odores dos recintos industriais e comerciais normais.

Quando usado para filtragem de ar recirculado, a recuperação de ar pelo carbono ativado suprime a necessidade da adição de ar externo. É mais econômico recircular ou reutilizar o ar que já está a temperatura e umidade apropriadas do que aquecer ou refrigerar ar novo vindo do exterior. O carbono ativado é encontrado em cartuchos ou em painéis. Os dois tipos são instalados em dutos, caixas ou câmaras.



As unidades de recuperação de ar devem ser sempre protegidas por filtros de ar secos para evitar entupimento do carbono ativo. O carbono é colocado nos dutos de retorno de recintos condicionados ou nas tomadas de descarga de cozinhas, fogões etc., para evitar que sejam introduzidos odores nos ambientes vizinhos.

A remoção de odores, poeiras, fumaça, pólen, e outros contaminantes constituem a purificação do ar. Geralmente, ela é conseguida colocando-se filtros, de carvão ativado, lavadores etc. na corrente de ar.

Existem vários tipos de filtros:

Fonte: http://www.sj.cefetsc.edu.br

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Refrigerante produzindo o efeito de resfriamento

Suponha um vaso de amônia (ponto de ebulição à pressão atmosférica igual a -33°C) dentro de uma caixa isolada e com um tubo de sucção provido de válvula, descarregando na atmosfera.

À temperatura de 30°C, a pressão no interior do vaso será de 10,86 kg/cm² relativos (ou 154,5 psig) e nada acontecerá. Abrindo a válvula de sucção, haverá escapamento de vapor de amônia, reduzindo a pressão.


À medida que a pressão se reduz, o ponto de ebulição também se reduz, e o líquido continuará fervendo enquanto houver calor suficiente no líquido ou conteúdo da caixa isolada.

Se a válvula de sucção for deixada aberta até que a pressão fique igual à atmosférica, a temperatura da amônia será reduzida até -33°C. Então, o interior da caixa estará próximo a esta temperatura, quando a evaporação da amônia cessará. Qualquer calor adicionado fará com que a amônia torne a ferver e o calor seja retirado.

Fonte: http://www.sj.cefetsc.edu.br

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Temperatura de Orvalho

Temperatura de Orvalho é a temperatura na qual o vapor d’água da atmosfera começa a condensar.

Para obtê-la basta marcar as condições do ar numa carta psicrométrica e traçar uma linha horizontal para a esquerda até cruzar com a linha de saturação.


Esta temperatura corresponde à temperatura de saturação da água à pressão parcial do vapor na mistura (ar seco e vapor de água).

Fonte: http://www.sj.cefetsc.edu.br

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Tóquio inicia projeto para ter Olimpíadas verdes

Tóquio, uma das cidades que aspira a sediar os Jogos Olímpicos de 2016 iniciou seus esforços para conseguir oferecer as Olimpíadas mais verdes e sustentáveis. A capital japonesa deu início à plantação de 7 mil árvores no Bosque Oceânico, localizado na Baía Odaiba da cidade.
As árvores foram plantadas por um grupo de 2016 pessoas composto por voluntários e atletas, que se comprometeram a ajudar a cidade a ser um modelo, com a menor carga meio-ambiental do mundo, por meio de inovadoras iniciativas como a do Bosque Oceânico.


O maior responsável deste projeto é o arquiteto Tadao Ando, que encabeçou a candidatura da cidade para sede dos Jogos de 2016. No total, irão ser plantados cerca de 88 hectares de bosque, que contará com diversas espécies de árvores. Entre os muitos efeitos benéficos, o Bosque Oceânico funcionará como um sistema natural de ar condicionado que ajudará a esfriar as brisas marítimas que sopram desde a baía de Tóquio até o centro da cidade.
“A água e o verde já cobrem mais da metade da zona de Tóquio e planejamos juntamente com o governo conscientizar o mundo sobre a necessidade de fazer frente à mudança climática e criar um futuro sustentável pata todos. Queremos construir um legado duradouro que se estenda muito além das nossas fronteiras para inspirar outras cidades e nações do mundo”, explicou o presidente da candidatura de Tóquio-2016, Ichiro Kono.

Fonte: http://www.gazetaesportiva.net/ge_noticias/bin/noticia.php?chid=121&nwid=47451

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Elgin apresenta mascote da linha de ar condicionado

Elgin apresenta mascote da linha de ar condicionado – simpático pingüim chega para impulsionar vendas no verão.
A Elgin, empresa genuinamente brasileira, fabricante de ar condicionado, presente neste mercado há 24 anos, apresenta o simpático mascote para a linha de climatização. O Pingüim Elgin estará ilustrado em oito poses diferentes à frente dos anúncios, folders e do portfolio da linha de ar condicionado da marca, durante o verão 2008/2009.

Desenvolvidos para a Elgin em 3D pelo artista plástico e design Cláudio Souza da agência ATB Comunicações, o Pingüim Elgin vem para trazer um diferencial competitivo de comunicação entre a empresa, consumidor final e revendedores, já que no mercado de ar-condicionado as marcas não costumam inovar muito na apresentação de produtos.


“Além disso, buscamos um elemento simpático, de fácil assimilação em relação ao benefício trazido por este tipo de equipamento, ou seja, ar fresco e conforto. O pingüim é popular por causa de sua associação direta com o frio e é um elemento de fácil lembrança, uma referência no ambiente doméstico”, afirma Alexandre Faraco, gerente de marketing da divisão de climatização da empresa.

A linha de climatização da Elgin: Com produtos modernos, que possuem nível de ruído reduzido, baixo consumo de energia elétrica e grande eficiência, a linha de ar condicionado Elgin é uma das mais completas. A empresa tem 56 anos e atua no segmento de climatização desde 1984 e hoje possui um portfolio abrangente, destacando-se produtos nas categorias Split Hi-Wall, Bi-Split Hi-Wall, Piso-Teto e Parede Tradicional, com capacidades que variam de 6.000 a 80.000 BTU/h, permitindo à empresa atender às necessidades dos consumidores. Os produtos podem ser encontrados nas melhores casas de eletrodomésticos do país e também em lojas especializadas.

Pingüim Elgin: Agência: ATB Comunicações || Cliente: Elgin S/A | Atendimento: Patrícia Rocha | Diretores de Arte: Leandro Gianotti, Claudio Souza | Ilustrador/ Designer: Cláudio Souza| Mídia: Marina Marinho, Patrícia Rocha | Redatores: Christiane Gribel, Paula Bravo, Airton Bovo | Diretor de Criação: Airton Bovo | Art Buyer: Carina Gonçalvez | Aprovação pelo cliente: Alexandre Faraco. [ SAC ELGIN : Grande São Paulo (11) 3383-5555 / Demais Estados 0800-7035446 | www.elgin.com.br]

Fonte: http://www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=57530

domingo, 16 de novembro de 2008

Sustentabilidade pode ser saída para driblar crise econômica mundial

O relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT), em parceria com as Nações Unidas sobre o futuro dos empregos "verdes" - ligados a energias renováveis e tecnologias ambientalmente inovadoras, mostra números expressivos: o documento estima que até 2030 serão criados até 20 milhões de novos empregos nessas áreas. Doze milhões deles serão criados só, nas indústrias de bioenergia - campo em que nosso etanol de cana se destaca. O motor da criação desses empregos seria o crescimento do mercado para os produtos verdes no mundo todo: a expectativa é que ele dobre até 2020. Hoje essa indústria já move US$ 2,74 bilhões anualmente.

Para Ricardo Guggisberg, organizador da Eco Business Show, feira de sustentabilidade e negócios que acontece em São Paulo de 25 a 27 de novembro, alguns fatos do mercado mundial registram mudanças significativas a favor de um caminho sustentável e do fortalecimento de negócios e ações nessa área. Para ele, não podemos continuar encarando a atual crise mundial com olhos especulativos. "A saída está na inovação das empresas, que devem buscar alternativas mais sustentáveis. O mercado de energias renováveis é um dos mais promissores, porém, o mais importante é que haja integração entre diversos setores, para que se criem novos modelos de negócio", acredita.


Durante o congresso da Eco Business Show, um exemplo de sustentabilidade, que deu certo na Suíça e foi iniciado no Brasil, será apresentado pela professora Sílvia Velasquez, coordenadora técnica do Centro Nacional de Referência em Biomassa (Cenbio). Ela mostrará o projeto Bio Etanol para o Transporte Sustentável que foi lançado em outubro do ano passado e já funciona em São Paulo no corredor Jabaquara/São Mateus no horário de pico da manhã.

O projeto é resultado da parceria do Cenbio com empresas do setor de transporte e combustíveis. O ônibus possui chassi e motor importados da Suécia, país que já adota o etanol no sistema de transporte público, e recebeu carroceria no Brasil. "Em relação ao diesel, há redução de 90% das emissões de material particulado e 62% de óxidos de nitrogênio, além de não emitir enxofre e de diminuir em 80% os gases que provocam o [efeito estufa]", explica Silvia. O veículo possui 270 HP de potência, capacidade para 63 passageiros (31 sentados), ar-condicionado e piso rebaixado para o acesso de deficientes.

A composição do combustível é de 95% de álcool hidratado e 5% de aditivo, necessário para realizar a ignição por compressão no veículo. O motor foi adaptado para receber o etanol e possui maior compressão. O preço do ônibus é de cerca de R$ 450 mil, semelhante aos modelos à diesel.

Uma semana antes da Eco Business Show, o presidente Luis Inácio Lula da Silva irá lançar a 1ª Exposição Internacional de Biocombustível e anunciar a importação oficial do etanol pela Petrobras. "Depois de todo o processo burocrático teremos o etanol no Brasil e acreditamos que depois da exposição - onde o ônibus estará aberto para visitação - ele poderá circular o dia todo, já que teremos mais etanol disponível para o seu abastecimento", acredita Silvia.

Fonte:http://www.gazetadigital.com.br/digital.php?codigo=71502&GED=6214&GEDDATA=2008-11-11&UGID=aa2b91bb154e58195d3ee4ad61117117

sábado, 15 de novembro de 2008

OSRAM apresenta sistema de purificação de Água e Ar

OSRAM apresenta sistema de purificação de água e ar com alta capacidade para eliminar bactérias

O sistema de purificação de água OSRAM PURITEC®, desenvolvido pela empresa, é composto por lâmpadas de baixa pressão de mercúrio e emissão de luz ultravioleta para eliminar bactérias, vírus e outros organismos que possam poluir a água e o ar.


Grandes volumes de água podem ser esterilizados porque a luz ultravioleta atinge uma área bastante extensa e garante a eliminação de 99,9% das Escherichia Coli existentes. A tecnologia facilita a vida de campistas e viajantes, além de possibilitar que pessoas que vivem em áreas secas, possam armazenar água e a purificá-la sempre que for necessário.

Com o uso do acessório AQUACAN, três litros de água podem ser purificados para beber em apenas cinco minutos de exposição à luz ultravioleta do sistema OSRAM PURITEC®. Além disso, o produto também pode ser utilizado durante o processo de embalagem de remédios e alimentos, além da limpeza de áreas e superfícies de equipamentos hospitalares, apenas com a simples exposição direta a radiação UV.

Do mesmo modo, permite a esterilização de salas de escritórios com ar condicionado e áreas com grande circulação de pessoas, porque é eficiente na eliminação de organismos presentes no ar.

Fonte: http://www.meiofiltrante.com.br/noticias.asp?action=detalhe&id=883

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Vencer aquecimento global exige fazer nova 'revolução industrial', diz estudo

Riqueza gerada com tonelada de emissão de carbono deve subir 1.000%.
Conclusão é de empresa de consultoria britânica.

Vencer o aquecimento global é um desafio de proporções dantescas, similares a apenas um evento na história da humanidade: a revolução industrial. A análise é de uma empresa de consultoria britânica que trabalha com vários governos e companhias numa tentativa de mapear o caminho árduo rumo a essa nova "revolução".

A matemática do raciocínio envolvido na pesquisa é relativamente simples. Ela se baseia no conceito de "produtividade do carbono", ou seja, em quanto do PIB (Produto Interno Bruto) de um país pode ser produzido com uma tonelada de gás carbônico emitida na atmosfera.

"Calculamos que esse aumento da produtividade tem de subir de 740 dólares por tonelada, hoje, para 7.300 dólares por tonelada em 2050, um aumento de dez vezes", afirma Ed Petter, gerente de relações externas para mudança climática da consultoria britânica McKinsey, responsável pelo estudo. "Parece muito, mas já fizemos isso uma vez. O valor é comparável em magnitude ao aumento da produtividade do trabalho com a revolução industrial."


A mensagem principal do apanhado de dados é indicar que, apesar do tamanho do problema, a solução, aparentemente, existe. E é por aí que vai o foco do estudo: mostrar que há saídas já disponíveis -- e talvez até lucrativas -- para reduzir a emissão de gás carbônico na atmosfera.


Foto: REUTERS/ESA/Cluster/Handout
Menos de 30% do que precisa ser feito para evitar o aquecimento global pode sair de soluções disponíveis. (Foto: REUTERS/ESA/Cluster/Handout)

Veículos mais eficientes, controle de temperatura mais eficaz em construções, sistemas inteligentes de ar-condicionado e até o etanol da cana-de-açúcar, especialidades brasileiras, são listados como potenciais itens que, ao serem implementados, na verdade barateiam custos, em vez de encarecer. "Claro, será preciso fazer um investimento inicial, um gasto inicial, mas isso será amortizado com o que virá de economia depois e no fim sairá mais barato", explica Petter.

Segundo o estudo, pouco menos de 30% do que precisa ser feito para evitar o aquecimento global dito perigoso (acima de 2 graus Celsius) pode sair dessas soluções já disponíveis e supostamente econômicas.

E quanto aos outros 70%? Pois é. Uma fatia significativa do bolo -- o maior item individual -- é a redução do desmatamento amazônico. Aliás, parece ser este a única pedra no sapato do Brasil na questão da mudança climática. De resto, com biocombustíveis em alta e fontes hidrelétricas fortes, o país tem uma matriz energética muito mais limpa do que a dos outros grandes países do mundo.

Mas não é de se subestimar o problema do desmatamento. Evitá-lo também aparece com uma das coisas mais caras na lista preparada pelos pesquisadores. Bem perto de coisas que ainda nem existem fora do papel, como sistemas de armazenamento de carbono para usinas movidas a carvão -- fonte mais suja de energia e uma das favoritas da China, país que cresce vertiginosamente e precisa cada vez mais aumentar seu parque energético.

Política e economia

Moral da história: não vai ser fácil desatar esse nó. Mas existe um senso de urgência, sobretudo na Europa -- não dá para adiar mais. E mais: pelo menos o governo britânico está convencido de que o mercado não agirá sozinho para se tornar mais verde.

"Não há nenhuma abordagem não-intervencionista possível para a mudança climática e é preciso surgir uma nova economia política", afirma John Ashton, representante especial do Reino Unido para mudança climática, que já participou de inúmeras negociações de tratados de clima e parece convencido de que será preciso estabelecer leis para indicar o caminho a ser seguido pelos mercados, na direção de uma economia mais verde.

E parece que o governo britânico está começando a colocar ações ao lado do discurso. O Parlamento está para acertar uma nova lei que tornará a redução das emissões de gás carbônico no Reino Unido uma obrigação inescapável -- muito diferente do Protocolo de Kyoto, que estabelece metas, mas não obriga ninguém a cumpri-las.

Quando terminar de tramitar -- fontes ligadas ao Parlamento dizem que faltam pequenos detalhes, mas nada muito essencial, para a definição do texto final --, o Reino Unido será o primeiro país a ter uma legislação específica para o aquecimento global.

E o governo britânico está tentando trazer a Europa inteira junto, negociando metas agressivas para a redução de emissões, que culminariam com cortes de 80% até 2050.

Claro, para que tudo dê certo e a nova revolução industrial, é preciso que todos os grandes países -- inclusive os que estão em desenvolvimento -- participem do processo de migração para formas mais limpas de energia. E, mais do que isso, o presidente eleito Barack Obama -- que prometeu investimentos de US$ 150 bilhões em novas tecnologias contra o aquecimento global -- terá de trazer os EUA de volta ao jogo, depois da saída politicamente desastrosa de George W. Bush, ao rejeitar o Protocolo de Kyoto, em 2001.

Salvador Nogueira
Do G1, em Londres
O jornalista Salvador Nogueira viajou a convite da Embaixada Britânica.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL858711-5603,00-VENCER+AQUECIMENTO+GLOBAL+EXIGE+FAZER+NOVA+REVOLUCAO+INDUSTRIAL+DIZ+ESTUDO.html

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

PM - Ar Condicionado em Viaturas

PM denuncia que viaturas não podem mais ter ar condicionados ligados no PI Demonstrando indignação e revolta, uma equipe de policiais militares em serviço, procurou o Tvcanal13.com para denunciar que o comando geral da Polícia Militar do Piauí determinou que todos os aparelhos de ar condicionados das viaturas policiais fossem desligados.

Segundo os denunciantes, a determinação visa contenção de despesas. Uma vez sem os aparelhos, as viaturas passam a consumir menos combustível.


Porém, os policiais receberam a medida como arbitrária, uma vez que consideram que ar condicionado nas viaturas policiais numa época de calor intenso como a que estamos vivendo não é nenhum privilégio e sim uma necessidade. Como diz o adágio popular, “para ser boa, a justiça deve começar em casa”, - assim, o comandante teria que desligar também o ar da viatura dele – disseram os policiais revoltados.

Outro lado

O Coronel Prado, comandante da Polícia Militar do Piauí afirmou que a reclamação dos policiais não tem fundamento: “Essa determinação nunca existiu. Não tem como em um calor como esse mandar desligar o ar condicionado das viaturas”.

Mesmo que esta determinação não exista, Cel. Prado disse que é preciso que os PM’s “baixem os vidros” para observarem as ocorrências: “Tem policias que só andam com os vidros levantados e precisam resolver as ocorrências que a sociedade tanto reclama”, finaliza.

Fonte:
http://www.tvcanal13.com.br/noticias/pm-denuncia-que-viaturas-nao-podem-mais-ter-ar-condicionados-ligados-no-pi-41790.asp

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

McDonald’s investe em sustentabilidade

McDonald’s inaugura nova categoria de restaurantes ecológicos
O McDonald’s reuniu em um único conceito as experiências mais eficientes de uso racional de água e de energia elétrica já adotadas em seus restaurantes de todo o mundo. Essa iniciativa deu origem a uma nova categoria de restaurantes ecológicos, que incorporam a filosofia de construção ambientalmente responsável, baseada em tecnologias que minimizam impactos durante a implantação e operação das unidades.

Por iniciativa da Arcos Dourados, empresa que administra os restaurantes da rede na maior parte dos países da América Latina, o Brasil será o primeiro país a ganhar uma unidade do tipo, na região, seguido por Costa Rica e Argentina, todos com inauguração prevista até o fim deste ano. O “Restaurante Verde” também servirá de centro de testes para novas tecnologias de construção.

Construídos com as práticas mais avançadas no campo da sustentabilidade ambiental, os novos restaurantes McDonald’s privilegiarão o emprego de energia limpa, fontes de grande eficiência energética, reutilização e consumo consciente de água, além do uso de materiais naturais, renováveis, reciclados e de produção regionalizada


As vantagens ambientais dos “restaurantes verdes” são significativas. Comparados a unidades similares, permitem uma redução de 14% do consumo de energia e de 50% do de água potável, representando uma economia de 50 mil KW e de 217 mil litros de água por ano. Contribui para essa diminuição o fato de a carga térmica instalada para refrigeração ser 25% menor e de a luz solar responder por uma parcela de 2,5% do total da energia consumida.

“Com essa nova medida reafirmamos o compromisso mundial do McDonald’s com o meio ambiente e nos colocamos, uma vez mais, na vanguarda do que há de mais avançado em construção, operação e manutenção de restaurantes em todo o mundo”, diz Flávia Vígio, Vice-Presidente de Comunicação da Arcos Dourados/McDonald’s América Latina. A executiva ressalta que pesquisas conduzidas pelo McDonald’s indicam que os novos restaurantes reforçarão os laços com os clientes: "Eles manifestam a preferência por empresas que se preocupam com a preservação do planeta e qualidade de vida das comunidades onde atuam”.

As novidades dos “restaurantes verdes” McDonald’s

Os novos restaurantes do McDonald’s seguem as diretrizes do US Green Building Council e dessa forma, quando estiverem operando, estarão aptos a pleitear a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), concedida às “construções verdes”, comprometidas com a sustentabilidade.

Para reduzir o consumo de energia, os novos restaurantes privilegiam o aquecimento de água por luz solar. Eles têm uma maior área de janelas e paredes de vidro e empregam sensores e automação do sistema de energia para melhor aproveitamento da luz natural. Os vidros são recobertos com películas para não comprometer a eficiência do ar condicionado. Todas as luminárias fluorescentes foram substituídas por outras de menor potência e maior eficiência ou por lâmpadas tipo LED, as mesmas que passam a ser utilizadas nos luminosos externos.

A fim de minimizar o consumo de água, os “restaurantes verdes” captam a água da chuva para uso não-potável. Os mictórios dos banheiros usam água da chuva, as válvulas de descarga dos vasos sanitários têm dois fluxos e as torneiras e registros são automáticos. O paisagismo levou em consideração o uso de plantas nativas, que não precisam ser regadas constantemente.

Com o objetivo de diminuir o consumo de recursos naturais, a construção dos novos restaurantes emprega pisos de material reciclado, feitos com compostos de concreto e borracha e até de vidro de lâmpadas fluorescentes. A tinta é ecológica, de base mineral e dispensa o emprego de massa corrida. Toda a madeira é certificada, proveniente de árvores extraídas de zonas de replantio. O cimento utilizado na obra é o Portland de Alto Forno tipo CP III, que emprega de 35% a 70% da escória resultante da fundição de minério. A construção privilegia o uso de materiais ecológicos de fontes renováveis e de produção regionalizada, como pastilhas de casca de coco e de bambu.

Para minimizar os efluentes, os equipamentos de ar condicionado e de refrigeração dos “restaurantes verdes” são dotados de um sistema que utiliza fluido refrigerante ecológico, que elimina completamente o CFC que agride a camada de ozônio. Além disso, o sistema de ar condicionado é operado por um dispositivo ultrassônico que monitora as temperaturas interna e externa, a direção e velocidade do vento e a abertura das janelas. Todos os restaurantes sob o novo conceito empregam a coleta seletiva de resíduos, com separação e aproveitamento dos recicláveis.

"O novo conceito será implantado nas inaugurações dos novos restaurantes sempre que houver tecnologia, equipamentos e materiais disponíveis", informa a Vice-Presidente de Comunicação Flávia Vígio. "O compromisso da Arcos Dourados com a América Latina é efetuar uma gestão inovadora de seus restaurantes na região, de forma a ser a melhor opção em alimentação fora de casa para os 16 milhões de clientes que diariamente são atendidos em nossas unidades".

Fonte: DM Online
http://www.dm.com.br/ultimas/economia/112575,mcdonalds_inaugura_nova_categoria_de_restaurantes_ecologicos

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Energia Eólica

Seminário sobre Energia Eólica

Vantagens e desafios da inserção de Fonte Limpa de Energia na Matriz Energética do Brasil

26 de novembro de 2008– São Paulo

OBJETIVO
Estimular a discussão sobre a aplicabilidade da energia eólica, os desafios e experiências de executivos que já atuam neste mercado e, principalmente, proporcionar a troca de informações entre os principais players do setor.


AGENDA
• CENÁRIO MUNDIAL DE ENERGIA EÓLICA E AS PROJEÇÕES EM LONGO PRAZO
• PRINCIPAIS ETAPAS PARA UM PROJETO DE CENTRAL EÓLICA
• VANTAGENS E DESAFIOS DA ENERGIA EÓLICA NA MATRIZ ENERGÉTICA
• DIFICULDADES ENCONTRADAS NO AMBIENTE REGULATÓRIO DO BRASIL
• PRINCIPAIS PARQUES EÓLICOS IMPLEMENTADOS NO BRASIL
• FINANCIAMENTO DE PROJETOS E CUSTOS PARA PRODUÇÃO DE ENERGIA LIMPA

Solicite o Programa Completo pela Central de Atendimento

Inscrições e Informações: (11) 3079-9891 / 3078 - 2471 / 3079-8807

domingo, 9 de novembro de 2008

Camada de Ozônio

Equador sofre com a alta radiação solar
DA FRANCE PRESSE

O Equador "tem a radiação mais alta do planeta", advertiu ontem a Agência Espacial Civil Equatoriana (EXA), após publicar estudo que indica o enfraquecimento da camada de ozônio no cinturão equatorial.


Ronnie Nader, da EXA, disse que a alta radiação também afeta Peru e Colômbia. Os níveis de radiação são o dobro do recomendado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e podem causar mutações genéticas.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ciencia/fe2710200803.htm

sábado, 8 de novembro de 2008

Monitor de Temperatura

O “TempTale 4 BIO” (TT4 BIO) é um estojo compacto, monitor eletrônico a pilhas projetado com alto nível da exatidão. Utilizado por farmacêuticos e biólogos para a monitoração de temperatura de produtos sensíveis durante o armazenamento e o transporte, para ajudar a assegurar a integridade do produto e a atender regulamentos existentes.


O monitor permite rapidamente e facilmente a transferências de dados a um PC para a visão, a impressão e a análise dos dados gravados pelo monitor.
O TT4 Bio trabalha com temperaturas entre -30ºC a +70ºC.

Fonte: http://www.sensitech.com/products/hardware/temp_monitors/TT4_bio.html

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Dieese revela que consumo de energia elétrica teve crescimento em Sergipe

Os sergipanos estão consumindo mais energia elétrica, segundo dados do DIEESE - Departamento Intersindical de Estudos Sócio-econômicos, em relação ao mesmo período do ano passado. A pesquisa revela que o consumo acumulado de janeiro a setembro de 2008 de energia elétrica atendido pela ENERGISA atingiu 1.327,60 gigawatts-hora (GWh). Isso representa um crescimento de 9,40%, e com uma receita bruta de venda de R$ 468 milhões, 1,8% superior ao ano passado. O consumo industrial registrou o maior crescimento nesse período (265,50 GWh ou +16,00%), comercial (272,70 GWh ou +10,70%), residencial (457,60 GWh ou +9,30%), rural (55,70 GWh ou +7,70%), e outras classes (276,30 GWh ou +2,50%).


De acordo com informações do assessor de comunicação da Energisa, Augusto Aranha, a tendência é que até o final do ano o consumo aumente um pouco mais, já que, tradicionalmente, nos meses de novembro e dezembro as pessoas consomem mais energia elétrica, especialmente, os consumidores residenciais. "Por conta do verão, os consumidores residenciais utilizam aparelhos que gastam mais energia, a exemplo de ar condicionado. Assim como, nas indústrias a demanda de produtos para as festas de fim de ano é maior. Outro ponto que merece destaque no que diz respeito ao aumento de consumo é o crescimento do número de domicílios atendidos pela empresa energética", afirmou.

Economize energia, o planeta agradece.

Fonte: http://www.correiodesergipe.com/lernoticia.php?noticia=30307

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Dispositivo de Expansão

O dispositivo de expansão (Valvula de Expansão) tem o papel de regular a passagem do fluxo de refrigerante no evaporador e conseqüentemente a quantidade de vapor a ser succionado pelo compressor.

Além disso, o dispositivo de expansão garante a redução de pressão do fluido que sai do condensador e entra no evaporador e ainda, através de um bulbo sensor é mantido um superaquecimento constante à saída do evaporador. Isto é conseguido deixando-se passar mais ou menos (automaticamente) refrigerante para o evaporador.


As válvulas de expansão podem ser com equalização externa ( a pressão na parte superior do diafragma é a de saída do evaporador) e com equalização interna, isto é, a pressão na parte inferior do diafragma é a pressão de entrada do evaporador.

Fonte: http://www.sj.cefetsc.edu.br

Semanário sobre Energia Eólica

Vantagens e desafios da inserção de Fonte Limpa de Energia na Matriz Energética do Brasil

SEMINÁRIO sobre ENERGIA EÓLICA
VANTAGENS E DESAFIOS DA INSERÇÃO DE FONTE LIMPA
DE ENERGIA NA MATRIZ ENERGÉTICA DO BRASIL
26 de novembro de 2008– São Paulo


OBJETIVO
Estimular a discussão sobre a aplicabilidade da energia eólica, os desafios e experiências de executivos que já atuam
neste mercado e, principalmente, proporcionar a troca de informações entre os principais players do setor.

AGENDA
• CENÁRIO MUNDIAL DE ENERGIA EÓLICA E AS PROJEÇÕES EM LONGO PRAZO
• PRINCIPAIS ETAPAS PARA UM PROJETO DE CENTRAL EÓLICA
• VANTAGENS E DESAFIOS DA ENERGIA EÓLICA NA MATRIZ ENERGÉTICA
• DIFICULDADES ENCONTRADAS NO AMBIENTE REGULATÓRIO DO BRASIL
• PRINCIPAIS PARQUES EÓLICOS IMPLEMENTADOS NO BRASIL
• FINANCIAMENTO DE PROJETOS E CUSTOS PARA PRODUÇÃO DE ENERGIA LIMPA

Solicite o Programa Completo pela Central de Atendimento

Inscrições e Informações: (11) 3079-9891 / 3078 - 2471 / 3079-8807

Meio Ambiente Industrial e Sustentabilidade

X SIMAI – Seminário Internacional de Meio Ambiente Industrial e Sustentabilidade, dias 12, 13 e 14 de novembro de 2008, no Pavilhão Branco do Expo Center Norte, em São Paulo, SP


Mais informações:
Tels. (11) 3917-2878 / 0800 77 01 449

E-mail: eventos@ambientepress.com.br

Acesse a programação completa no website: www.fimai.com.br

Flagra em Conserto de Ar Condicionado


Encontrei esta matéria e fiquei preocupado com a falta de segurança deste corajoso mecânico. O rapaz simplesmente se pendurou na Unidade Condensadora no 16° andar de um prédio na Rússia.


"A publicação britânica “Daily Mail” divulgou uma imagem que flagra um russo pendurado fora da janela, no 16º andar, para consertar seu ar-condicionado."
Leia a matéria em:
http://g1.globo.com/Noticias/PlanetaBizarro/0,,MUL834875-6091,00-RUSSO+SE+PENDURA+NO+ANDAR+PARA+CONSERTAR+ARCONDICIONADO.html

Por isso é necessário a contratação de empresa idônea e que se preocupe com a segurança de seus profissionais.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Principais motivos de falhas nos compressores

O óleo lubrificante do compressor, em alguns tipos de compressores, é bombeado juntamente com o refrigerante. Se não houver um retorno deste óleo para o compressor, a falta de óleo fará com que o compressor se desgaste rapidamente, podendo ocorrer o seu travamento.

O óleo lubrificante pode reagir quimicamente com o fluido refrigerante. Isso ocorre quando o refrigerante e o óleo são quimicamente compatíveis, como por exemplo, o refrigerante R-134a e o óleo mineral. O óleo pode ficar "fino", isto é, tem sua viscosidade reduzida, o que também pode levar à falha acima citada.

A reação química do óleo com o fluido refrigerante também resulta na formação de ácidos, que por sua vez atacam quimicamente (reagem com) diversos materiais do compressor, como o esmalte que recobre a fiação do motor elétrico, as borrachas, plásticos e metais utilizados no corpo do compressor, etc. Obviamente, este ataque químico desgasta e destrói as peças, podendo levar a falhas.


A umidade (água) também pode reagir com os refrigerantes e com os óleos, formando ácidos, com as consequências acima descritas. Daí a importância de uma correta e eficaz desidratação do sistema (obtida através do processo de evacuação).

A entrada de refrigerante no estado líquido no compressor também pode procovar falhas. Se o líquido é succionado pela bomba do compressor, pode atingir as válvulas de sucção, ocasionando uma erosão (chamada golpe de líquido) que acaba por levar à quebra da válvula, tornando o compressor ineficaz ou mesmo travando-o.

Quando o compressor é submetido a altos diferenciais de pressão (diferença entre a pressão de sucção e a pressão de descarga do compressor), ele necessita dispender muito mais energia para o bombeamento do refrigerante. Quando isso ocorre, o motor elétrico que move o compressor começa a consumir muito mais energia elétrica, o que é traduzido pelo aumento da corrente no compressor. Para isso existe o relé de proteção contra sobrecarga: se a corrente no compressor aumenta muito, esse relé automaticamente desliga o compressor. No entanto, no caso de falha do relé, ou no caso de utilização de um relé inadequado (superdimensionado), o relé pode não desligar o compressor, o que pode levar a uma queima do motor elétrico (a fiação do motor superaquece, o esmalte protetor em torno do fio é destruído, e o fiação pode entrar em curto circuito).

Quando a temperatura de descarga do compressor está muito elevada, o compressor como um todo se superaquece, o que aumenta a possibilidade de reações químicas entre umidade, refrigerante e óleos lubrificantes, além de também poderem provocar uma degradação dos materiais do motor elétrico, podendo levar à queima.

Quando o compressor está desligado, pode haver migração de refrigerante no estado líquido, da linha de sucção para a carcaça ou cárter do compressor. Esse refrigerante líquido mistura-se com o óleo. Isto pode fazer com que o óleo perca parte de sua capacidade de lubrificação, ficando "fino", o que, quando o compressor for religado, acabará por provocar maior desgaste no compressor.

Fonte: www.sj.cefetsc.edu.br

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Sistema de Absorção Padrão


O sistema de absorção possui 4 componentes principais:
absovedor;
gerador;
condensador;
e evaporador.


Como acessórios tem-se uma bomba e válvulas de expansão. O Fluido refrigerante NH3 entra no evaporador e retira calor do meio interno passando do estado de liquido para vapor. Este e absorvido pelo absorvedor através de uma solução liquida de NH3 + H2O.

Esta solução e bombeada para o gerador. La uma adição de calor separa a NH3 (que segue para o condensador na forma de vapor) da H2O que retorna ao absorvedor. A NH3 libera calor para o exterior no condensador e passa para o estado de liquido que ingressa no evaporador onde reinicia o processo.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Termoacumulaçao de Gelo - O que é?

É o processo de fabricar gelo e armazená-lo em grandes tanques durante o período da noite quando a energia elétrica é mais barata. A fabricação deste gelo se dá fazendo passar uma solução de água e etileno grau a cerca de –4C através de tanques isolados com água pura.


Essa água pura irá congelar a 0C. Esse gelo é utilizado durante os horários de pico (18h às 21h), desligando-se os compressores e circulando a água gelada através dos mesmos.

Fonte: Cefet/SC

domingo, 2 de novembro de 2008

O Mercado de emissões de Quioto possui excesso de permissões

Por Fernanda Müller, do CarbonoBrasil
O mercado de créditos de emissões alocadas aos países membros do Protocolo de Quioto está com 17% de excesso em permissões de emissão, afirma a Point Carbon, empresa que analisa o mercado de carbono. Cerca de 57,8 bilhões de toneladas das chamadas Unidades de Quantidades Atribuídas (AAUs) foram alocadas para 38 países industrializados utilizarem durante os cinco anos de compromisso do Protocolo de Quioto, que segue até 2012. As emissões reais giram em torno de 49,5 bilhões de toneladas.

A análise exclui o Canadá, que declarou que não conseguirá alcançar a meta de Quioto de reduzir as emissões de gases do efeito estufa (GEE) em 6% em relação aos níveis de 1990. Em abril do ano passado o governo canadense lançou o plano “Turning the Corner” (virando a esquina, na tradução livre), que estabelece uma redução de 20% das emissões de GEE até 2020, com base nos níveis de 2006.


As AAUs são expedidas de acordo com a quantidade de gases do efeito estufa que cada país do Anexo B (com metas a cumprir) pode emitir durante o período de compromisso do Protocolo de Quioto. Cada unidade é medida em toneladas métricas de dióxido de carbono equivalente (CO2e), o principal gás apontado por cientistas do Painel climático da ONU como causador do aquecimento global.

Para os países do leste europeu, como Ucrânia, Hungria, Rússia e República Tcheca, existe uma grande quantidade extra de AAUs, pois no momento da determinação do nível médio de emissões de cada país (1990, segundo o qual as metas foram estabelecidas) estes possuíam grande quantidade de usinas a carvão e indústrias altamente poluentes. Após a queda do socialismo, os países do leste europeu entraram em crise e muitas destas usinas e indústrias foram fechadas, reduzindo o nível de emissões destas nações.

A Point Carbon diz que os países da Europa central e oriental conseguiriam vender até 1,7 bilhões de toneladas em créditos extras. A Rússia, teoricamente o país com o maior estoque de créditos extra, provavelmente não o venderá.

O gerente de serviços em pesquisas sobre mercado de carbono da Point Carbon, Kjetil Roine, comenta que "os potenciais ganhos reais com a venda das AAUs são restritos em comparação com os lucros provenientes das exportações de petróleo e gás". A Rússia fornece cerca de um quarto do gás consumido pela União Européia e 60% do petróleo.

A Point Carbon declara que onze países provavelmente terão um déficit combinado de 900 milhões de toneladas. O Japão, maior comprador de AAUs, acumulará o maior déficit, com 540 milhões de toneladas, seguido da Espanha, com 84 milhões e Itália com 74 milhões de toneladas.

O governo japonês tem percorrido o leste europeu em busca de créditos para auxiliar o país a alcançar a meta de Quioto, que exige a redução das emissões em 6% com base no nível de 1990. O Japão é o quinto maior emissor mundial de gases do efeito estufa.

Segundo a revista Business Week, para se ter uma idéia sobre as expectativas de lucro dos países do leste europeu, o ministério do meio ambiente da República Tcheca informou que prevê receber de €400 milhões a €1 bilhão pela venda do direito de emitir cerca de 100 milhões de toneladas de CO2 entre agora e 2012.

* Com informações de The SteelGuru.

sábado, 1 de novembro de 2008

Buraco na camada de ozônio aumentou 2 milhões de Km2 em 2008

Buraco na camada de ozônio aumentou 2 milhões de quilômetros quadrados em 2008
Buraco na camada de ozônio em 7/10/08. Créditos: KNMI/ESA Por Forum "Discutindo Ecologia"

O ozônio (O3) é um constituinte natural da atmosfera terrestre e na estratosfera forma uma camada que evita a entrada de altos níveis de radiação ultravioleta, funcionando como um escudo. Gases originados pelo produto antrópico CFC (clorofluorcarbono) acabam reagindo com o ozônio, destruindo parte desta proteção natural. Mesmo sendo proibidos deste 1987, uma fração destes gases ainda se encontram na atmosfera.


Uma parte do meio acadêmico defendia que a camada de ozônio estava em plena recuperação devido aos números positivos dos últimos anos, culminando com a diminuição do buraco em 4 milhões de quilômetros quadrados entre os anos de 2006 e 2007. Mas as medidas realizadas este ano mostram que o processo não é tão simples. O aumento registrado pela Agência Espacial Européia é de 2 milhões de quilômetros quadrados, chegando ao total de 27 milhões, próximo ao registrado em 2006. Mas calma ambientalistas, o mundo não está perdido.

O aumento ou diminuição da camada de ozônio depende muito de fatores meteriológicos regionais, fazendo com que esta sofra uma forte variação interanual. Isto quer dizer que apenas com mais estudos de longa duração poderemos ver se há realmente uma recuperação ou deteriorização da camada. A situação mais preocupante neste caso é
que os principais fatores que influenciam tanto o tamanho do buraco quanto a espessura da camada de ozônio são a temperatura e a dinâmica atmosférica. Desta forma, alterações na atmosfera terrestre decorrentes do aquecimento global podem causar grandes diferenças na camada de ozônio, sendo portanto de extrema importância um monitoramento contínuo destes fatores.

Como grande parte das coisas em ecologia, tanto a falta como o excesso pode ser tornar um problema. Um estudo da Royal Society, a agência nacional de ciências britânica, mostra que houve um aumento de aproximadamente 2 p.p.b. (partes por bilhão) por década desde 1980 das concentrações de O3 no nível do solo, chegando a valores muito perigosos de 35-40 p.p.b. na maior parte das cidades industrializadas
do mundo. Ao nível do solo, o ozônio é um forte poluente, sendo prejudicial tanto a nossa saúde (causando vários problemas respiratórios) quanto para a vegetação. Sua ação em plantas é devido ao seu forte poder oxidante, o que pode causar a necrose de tecidos internos das folhas após a passagem pelos estômatos. Este impacto normalmente ocorre quando as concentrações de ozônio chegam a 40 p.p.b. As principais fontes antropogênicas dos percussores de ozônio na troposfera são escapamento de veículos, indústrias e solventes químicos.

O estudo diz que o prejuízo em plantações da União Européia foi estimado em U$ 9 bilhões, devido a este problema. Se todas todas as legislações atuais forem respeitadas, as previsões são de que as concentrações de ozônio até 2050 devem sofrer uam queda de 15 p.p.b. Mas tal queda não é esperada para países em desenvolvimento, onde o aumento pode chegar a 3 p.p.b. até mesmo ano.

http://www.eurekalert.org/pub_releases/2008-10/esa-2oh100708.php
http://www.nature.com/news/2008/081006/full/news.2008.1153.html

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Conheça a Síndrome do Edifício Doente

Mal dos tempos modernos prejudica a saúde e a produtividade das pessoas. Problema advém das condições desfavoráveis das construções.

Talvez não seja do conhecimento geral da nação, mas a saúde e a produtividade de uma parcela expressiva de cidadãos têm sido prejudicadas por um mal típico dos tempos modernos. Trata-se da Síndrome do Edifício Doente (SED), problema que advém de
condições desfavoráveis das construções, como a má ventilação, limpeza interna inadequada e falta de manutenção dos equipamentos. São falhas que favorecem a proliferação de poluentes de origem física, química ou microbiológica.


A origem do problema remonta os anos 70. Começou a ser relatado nos países desenvolvidos, com climas frios. Eles passaram a construir edificações mais seladas, objetivando a redução do consumo de energia e de ventilação natural, e a maior eficiência de aparelhos de refrigeração e aquecimento. Entretanto, a blindagem das construções afetou a circulação/renovação do ar.

De outro lado, o avanço tecnológico na área de climatização permitiu a implantação dos chamados microclimatizadores artificiais em países tropicais, para manter uma temperatura agradável. O resultado é que, hoje, a maioria dos edifícios em
países tropicais como o Brasil é dependente de sistemas de ar condicionado. Estes, quando não há uma manutenção adequada, podem ser os principais vilões da saúde, especialmente da respiratória.

Em 1982, a Organização Mundial de Saúde (OMS) reconheceu a Síndrome do Edifício Doente (SED), caracterizada pelo aumento da prevalência de sintomas pouco específicos, como mal-estar, sensação de fadiga, dor de cabeça, espirros, lacrimejamento e ardor nos olhos, coriza, tontura, tosse seca e alterações na pele. Um edifício é classificado doente quando cerca de 20% de seus ocupantes apresentam alguns destes sintomas em decorrência do tempo de permanência em seu interior. São sinais que tendem a desaparecer após curtos períodos de afastamento.

As causas, vale repetir, estão associadas à climatização artificial, má conservação de filtros de ar condicionado, umidade, temperatura, deterioração do ar interno e sua insuficiência para a quantidade de pessoas que trabalham, moram ou circulam
pelo edifício. Segundo o dr. Marcos Arbex, especialista da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT), a OMS avalia que, atualmente, 30% dos edifícios do planeta são doentes.

"É importante avaliar nas construções, a qualidade e a higienização regular do sistema de refrigeração, além dos cuidados normais com ar condicionado e iluminação adequada", alerta dr. José Eduardo Delfini Cançado, presidente da SPPT.

Fax, impressoras e máquinas de xerox, carpetes, acúmulo de papéis e próprios produtos de limpeza, entre outros, habitualmente liberam substâncias químicas. Outro agravante é que a má conservação do filtro do ar condicionado pode gerar bactérias,
influenciando a Doença Relacionada com o Edifício (DRE), que, diferentemente da Síndrome do Edifício Doente, ocasiona doenças com sintomas específicos, atribuídos diretamente a poluentes identificados no ar do edifício. Entre essas doenças estão a
asma, rinite, dermatite e a pneumonia.

O dr. Ubiratan de Paula Santos, pneumologista da SPPT, sugere a aplicação de ferramentas de controle dos casos de Síndrome do Edifício Doente. "A organização do condomínio pode e deve, além de zelar pela limpeza e pela manutenção do condicionamento de ar, aplicar, anualmente, questionários para monitorar as queixas dos funcionários, em quais andares há mais problemas e se houve melhora ou piora durante o ano".

Fonte: http://www.bonde.com.br/bonde.php?id_bonde=1-27-4-78-20080924

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Aviso de Licitação: PNC comprará Bolsas e Ferramentas de Refrigeração

O Plano Nacional de Eliminação de CFCs - projeto coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente - abriu licitação de número 2437/2008 por meio de uma de suas agências executoras: o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD); para a compra dos seguintes bens:

Item 1- 9 mil unidades de bolsas recolhedoras de fluídos refrigerantes;
Item 2- 3 mil unidades de conjuntos de ferramentas de manutenção em refrigeração.

A licitação em epígrafe é aberta para empresas nacionais e internacionais.


As potenciais licitantes poderão apresentar propostas para ambos ou lotes OU para cada lote em separado (Lote 1 = Bolsas) (Lote 2 = Ferramentes).

Para conhecer na íntegra o Documento de Licitação, as especificações técnicas e para participar do certame, as empresas devem:

1) Acessar o sítio do PNUD/Brasil (Link: aviso de licitações):
http://www.pnud.org.br/licitacoes/
2) Procurar a Licitação de número 02437
3) Clicar no comando "Quero Participar"
4) Cadastrarem como potenciais fornecedores para que lhes sejam
enviado o ITB.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

IV Seminário de Resíduos Recicle CEMPRE

Política Nacional de Resíduos Sólidos
Responsabilidade Socioambiental e a contribuição da Indústria da Reciclagem
Prefeituras (Nacional e Internacional)

A contribuição das cooperativas de catadores
Logística Reversa e Pós - consumo: Avanços da reciclagem no setor de Eletro - Eletrônicos


Data: 12, 13 e 14 de novembro de 2008
Auditório Pavilhão Branco do Expo Center Norte - São Paulo - SP
(o acesso será pelo Pavilhão Azul, onde estará acontecendo em paralelo da X FIMAI - Feira de Meio Ambiente Industrial e

Sustentabilidade
Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 - Vila Guilherme

Mais informações:
Tel. (11) 3917 - 2878 / 0800 77 01 449
E - mail: eventos@rmai.com.br
Site: www.fimai.com.br

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Qual a diferença entre evaporador do tipo expansão direta e indireta?

No evaporador de expansão direta, é o próprio fluido refrigerante do sistema de refrigeração que realiza o processo de resfriamento final, ou seja, a retirada de calor do meio que se quer resfriar. Assim, por exemplo, em um condicionador de ar de janela, o ar do ambiente climatizado, que é o meio que se quer resfriar, entra em contato com a serpentina do evaporador, por dentro da qual evapora o fluido refrigerante do sistema de refrigeração.


No evaporador de expansão indireta, existe um fluido intermediário entre o refrigerante do sistema de refrigeração, e o meio que se quer resfriar. Ou seja, o refrigerante do sistema de refrigeração irá resfriar um fluido intermediário, e este fluido é que irá retirar calor do meio a ser resfriado. Então, por exemplo, em um sistema de condicionamento de ar de grande porte do tipo chiller/fan-coil, o gás refrigerante do sistema de refrigeração (chiller) realiza o resfriamento de água, produzindo água gelada. Esta água gelada é que irá resfriar o ar dos ambientes climatizados, no fan-coil.

Fonte: http://www.sj.cefetsc.edu.br

III Evento Brasileiro de Créditos Ambientais

03 e 04 de Novembro de 2008
Centro de Cultura e Eventos da UFSC / Florianóplis/SC

As temáticas deste relevante evento traz experts, dentre eles Executivos da ONU, para oferecer o melhor conhecimento do Mercado de Carbono, Créditos non-CO2 e projetos sustentáveis, para demonstrar como as oportunidades no mercado socioambiental se concretizam para as empresas, instituições e profissionais que buscam o caminho da sustentabilidade, com a aplicação de princípios técnico-científicos em seus projetos e atividades diárias, propiciando um ambiente mais saudável e resultado financeiro como fruto de ações empreendedoras.


O evento contará com importantes palestras:
“Convenções da UNFCCC (Accra, Poznań e Copenhaguem) e seus impactos nos diversos Setores Brasileiros e Projetos de Mecanismo de Desenvolvimento Limpo”

“Financiamentos para Projetos de Créditos de Carbono (MDL) na Indústria, de Energia, etc...”

“Reflorestamento: Escalas, Barreiras e Oportunidades de Créditos de Carbono (MDL)”

“Energia e Sustentabilidade”

“Um Negócio Sustentável de Sucesso”

“Construções Sustentáveis: Projeto e Questões Socioambientais”

“Reconheça o seu Patrimônio Ambiental e Demonstre Sustentabilidade”

“Agroenergia: Agricultura Sustentável e Biocombustíveis”

“Água: Projetos Sustentáveis e Créditos para Agricultura”

Público-Alvo:
Economistas, engenheiros, consultores, administradores (setor público e privado), gestores, investidores de mercados, executivos da área bancária, corretores e analistas de mercado de capitais, advogados, biólogos, executivos e técnicos de empresas, psicólogos, químicos, etc...
Bancos, corretoras de investimentos de mercado de capitais, indústrias (cerâmica, têxtil, metalurgia, papel e celulose, siderurgia e alimentos), mineradoras, agronegócio (suinocultura, sucroalcooleiro, orizicultura), reflorestamento (desenvolvimento florestal), co-geração, comercialização, infra-estrutura (saneamento, óleo, gás, energia e aterros
sanitários), órgãos governamentais; etc...

Inscrição:
Caso queira mais informações e participar do evento, visite o site www.creditosambientais.com.br

Local:
Centro de Cultura e Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC | Trindade | Florianópolis/SC

Curso de Projetos de Sistemas de Aquecimento Solar

30 e 31 de Outubro de 2008 - Auditório do CREA - Maceió/AL

Objetivo: Divulgar as novas tecnologias do uso da energia solar para aquecimento d´água.


Público-Alvo: Construtores, Arquitetos e Projetistas.

Facilitador: Carlos F. C. Faria (Café) - Diretor de Energia Solar da ABRAVA

Carga Horária do Curso: 16 horas

Horário: 8h às 12h e 14h às 18h

Incrções Gratuitas - Vagas Limitadas

Informações e Inscrições: (82) 3315-1715 / (82) 3315-1717 ou e-mail: samesedec@gmail.com

WWF-Brasil busca coordenador para o Programa de Mudanças Climáticas e Energia

O WWF-Brasil está buscando um Coordenador para o Programa de Mudanças Climáticas e Energia.


As informações para a vaga estão disponíveis no site:

http://www.wwf.org.br/wwf_brasil/trabalhe_conosco2/index.cfm?uNewsID=15600

Os interessados devem encaminhar documentação até o dia 30 de outubro.

A CPFL Energia e a FIESP convidam para Palestra e Debate

"Elementos-chave para uma Economia de Baixo Carbono"

Com Nicolas Stern, Autor do Relatório Stern, estudo que avalia os Impactos das Mudanças Climáticas na Economia Mundial.


Dia: 04 de Novembro de 2008 (terça-feira)
Horário: das 9h às 12h
Local: Avenida Paulista, 1313, 15° Andar, Salão Nobre, São Paulo, (SP)

Informações: (61) 3329-2362

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Shopping da Zona Norte será inaugurado no dia 30

Planet Shopping trará num único espaço preços atraentes para consumidores e baixo custo para lojistas
O Planet Shopping, o primeiro na região dos Cinco Conjuntos, Zona Norte de Londrina, começa a funcionar no próximo dia 30. O empreendimento inédito traz em seu conceito atender a classe C, que representa boa parte dos 150 mil moradores daqueles bairros. A área escolhida, segundo Renato Fogaça, proprietário do Planet, concentra 70% deste segmento da sociedade, por isso segue tendência norte-americana de construções em áreas de grande concentração populacional.


A região, afirma Fogaça, é dominada por casas e apartamentos populares, na sua maioria quitados por seus moradores. ''Fizemos um estudo sobre o perfil deste público.'' A arquitetura do shopping, traz diferenciais, como a área descoberta - conhecida por open mall - restrita aos corretores, ladeados de plantas e palmeiras. As 172 lojas reservam bom gosto arquitetônico em 9 mil metros quadrados de área construída.

Fogaça destaca que a obra traz um conceito ecológico, evitando o uso de ar-condicionado nos corredores do Shopping. ''Só as lojas terão ar-condicionado'', destaca. Paralelo ao conceito ambiental, há a eliminação de custos, por exemplo, com a luz natural nos espaços de circulação. Fogaça afirma que esta conjunção de fatores ajuda na composição de custos menores de condomínio para lojas, além de beneficiar o consumidor no preço de produtos e serviços oferecidos pelo novo espaço.

A construção que começou há um ano e meio, custou R$ 30 milhões. Seu conceito de shopping para classe C se alicerça em grandes magazines e hipermercados que tenham apelo reconhecidamente popular. O Planet usa como estratégia para ancorar o interesse deste público as Casas Bahia, Suzuki Motos e o hipermercado Super Muffato, este funcionando em área contígua ao novo shopping. Fogaça diz que a ligação com o hipermercado custará R$ 3 milhões para tornar o acesso ao Planet confortável e seguro.

Fonte:
http://www.bonde.com.br/bonde.php?id_bonde=1-3-2-303-20081013

Psicrometria / umidade relativa e umidade absoluta

Psicrometria é o estudo das misturas de ar e de vapor de água. Em ar condicionado o ar não é seco, mas sim uma mistura de ar e de vapor d’água, resultando daí a importância da psicrometria.

Em alguns processos a água é removida do ar, enquanto em outros é adicionada. A carta psicrométrica constitui uma das ferramentas mais úteis que existem para auxiliar o técnico em refrigeração e ar condicionado no estudo da climatização.


A umidade relativa expressa em percentagem, é a relação entre a pressão parcial do vapor de água real pela pressão de saturação à mesma temperatura.

Já a Umidade Absoluta: é a relação entre a massa de vapor de água e a massa de ar seco. É expressa em kg de vapor por kg de ar seco.
Fonte: Fonte: http://www.sj.cefetsc.edu.br

Clique aqui e faça o download de uma planilha com Carta Psicrométrica.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Conbrava 2009 - Chamada de Trabalhos

CHAMADA DE TRABALHOS
Tecnologias e oportunidades de crescimento profissional, em um evento prático e voltado para a disseminação dos últimos conhecimentos em eficiência energética e sustentabilidade dos Sistemas HVACR para engenheiros e técnicos atuantes ou usuários destes Sistemas.

O Congresso Brasileiro de Refrigeração, Ar condicionado, Ventilação, Aquecimento e Tratamento do Ar, se dará em um cenário onde a competitividade está cada vez mais acirrada, onde o aperfeiçoamento de nossas equipes e a busca de um diferencial são cada vez mais importantes para o sucesso de nossas empresas, esta é uma importante razão para a sua participação no XI CONBRAVA
A comissão organizadora do XI.

Congresso Brasileiro de Refrigeração, Ar condicionado, Ventilação, Aquecimento e Tratamento do Ar convida a toda comunidade técnica, acadêmica e profissionais interessados na disseminação de conhecimentos da área de engenharia termo-ambiental a inscrever seus trabalhos a serem apresentados neste evento.

PRAZO PARA INSCRIÇÕES:
O prazo para as inscrições encerra-se no dia 16 de dezembro de 2008. Envie hoje seu resumo.
Para a inscrição deverá ser remetido um resumo do trabalho a ser avaliado pela Comissão Organizadora que confirmará a aceitação até o dia 25 de fevereiro de 2009.

Mais informações:
http://www.abrava.com.br/?Canal=83&OperId=1597&Channel=Q2hhbWFkYSBkZSBUcmFiYWxob3M=

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Limpeza de Dutos Sua Marca Aqui Sua Marca Aqui Sua Marca Aqui Sua Marca Aqui Sua Marca Aqui

COMPARTILHE E FAVORITO

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More